terça-feira, 5 de março de 2013

Mocinha dos quase dezenove verões


 Venho por meio desta sem ao menos ter criatividade para por inicio ao conto dos meus dias ruins, mais uns dos tantos.
É que essa vida parece que já não tem jeito, to mesmo lá no profundo do poço, cravando as unhas nas paredes pra conseguir levantar, e caindo a cada tentativa, mas mesmo assim sem jeito, sem norte, sem nada mais ao que me apegar eu vou tentando, mesmo nas frustradas tentativas, eu preciso e quero sair daqui deste lugar.
Por ventura segurei meu pranto ao longo das ultimas semanas, até que ontem por uma bobagem que porém me tirou do juízo, tranquei-me no banheiro do trabalho e chorei baixinho pra ninguém me ouvir, e ali permaneci por uns 30 minutos, longos minutos olhando meu reflexo triste no espelho, e quanto mais eu olhava, mais chorava, mais soluçava, mais uma vez pedi a qualquer santo que me acudisse, por fim sai dali com cara de mal disfarce, até que recebi um abraço e mais algumas lágrimas escorreram, até me fazerem sorrir...
Acho que um dos motivos disso tudo é essa paranoia que entro toda véspera de completar mais um ano, estou há 33 dias de fazer 19, pouco né? Mas a vida já me bateu tantas vezes até aqui que tenho medo do fato de ainda ser tão nova e com uma alma tão surrada, minha alma tem envelhecido mais rápido que meu corpo, preocupante...
Tenho um medo danado dessa bola de neve que se formou em minha vida nunca se dissolva, ou pelo menos diminua, mas ela faz o contrario, aumenta! Um peso e tanto pra uma mocinha de 18 quase 19.
Por outro lado, lado estranho esse, dou até graças por passar por certas coisas, afinal, estou me tornando uma mulher forte, mulher aos 19, isso deve ser um ponto de orgulho.
Os outros motivos são a sucessão de besteirinhas que ando fazendo, tsc tsc tsc, menina tola, é quase um suicídio tratar a vida como ando tratando, melhor parar a birra e viver, mas já repeti isso tantas vezes a mim mesma que nem sei mais se surte efeito.
Ah, e os mais outros motivos são os probleminhas que vem junto com o fato de viver, porque meu caro amigo, VIVER É PROBLEMA! Mas também é solução, é só simplesmente viver direito, porém não é tão simples assim, complicado, né?
Mas voltando ao inicio, to aqui roendo o poço dos meus quase 19 verões vividos, e o que espero agora é tomar um impulso e por fim ver o sol lá fora, o sol desse verão da minha vida que mal se iniciou ainda, que já é problema, virou bola de neve e ta lutando pra dissolver tudo de ruim e ficar um tempo em paz. Preciso de sol na minha vida, ainda estou caminhando para o décimo nono veraneio, sei que ainda há muito brilho nessa minha alma surrada, nessa minha vida sem jeito, nesse meu eu, nessa mocinha.

2 comentários:

Gabriela Freitas disse...

"minha alma tem envelhecido mais rápido que meu corpo" sinto o mesma.
ainda há muito o que viver, muitas tristeza e inúmeras alegrias. a vida é feita por seus altos e baixos, passar pelas dificuldades nos faz merecer uma boa recompensa, e acredite, a vida nos da sempre aquela que merecemos.
aproveite seus 18 quase 19 anos. Viva.

รяª Nathalia disse...

Suas preocupações são quase iguais as minhas.
Somos tão novinhas mas a vida já nos fudeu de quase todos os lados ( me desculpe o termo kkk).

Stay Strong!